Sonhe e seja real. Seja real, mas sonhe!

    Você, alguma vez, já sorriu ao se pegar imaginando coisas impossíveis? Eu já, constantemente, eu diria. Aliás, não é preciso dormir para poder escapar da realidade, que às vezes é tão dura. Viver numa dimensão em que tudo é possível e onde somos capazes de poder realizar um milhão de coisas é convidativo, mas pode ser perigoso (aliás, uma moeda sempre tem dois lados, esse texto vai provar isso para vocês! risos).

    Os realistas dizem que quem sonha demais, uma hora pode cair da cama e se estatelar todo. Em contrapartida, os sonhadores não imaginam uma vida sem sonhos, sonhar é o combustível que precisam para seguir em frente e viver, dia a dia, o mundo real.

    Nessa disputa, perdem aqueles que não se permitem uma dose de cada coisa. E, neste caso, não estou falando do famoso “meio termo” (a propósito, a vida na clínica tem me feito repensar esse ideal “meio termo” que tanto se fala por aí). Começo a pensar que, talvez, isso seja algo impossível. Mas, espere aí, a impossibilidade não significa que você poderá tendenciar apenas para um dos lados. Não é disso que estou falando. Pense em uma pessoa que, normalmente, é 8 ou 80. Pode ser que ela nunca consiga ser 40, mas ela pode se tornar um 33 ou um 57. E, veja só, isso já é excelente e uma baita mudança positiva.

    Com isso quero dizer que, em determinados momentos, sonhar pode ser importante. Os sonhos nos impulsionam e, em grande parte dos casos, nos motivam a buscar algo. Faz um bem danado sonhar! O que não faz bem é viver sonhando a vida inteira e nunca concretizar nada. Encher-se de expectativas e viver se frustrando também não é bom. Talvez seja isso que faça os realistas manterem o pé no chão. E, acreditem, entendo aqueles que não querem se arriscar. Há pessoas que já tropeçaram tantas vezes nessa vida que, hoje em dia, qualquer passo em falso já é motivo para alarde.

    Os realistas, sempre pautados na realidade, acabam se privando de muitas experiências diferentes daquelas que estão acostumados, ou seja, daquelas possíveis. Quando alguém pautado pela realidade, se depara com um sonhador, é necessário tomar cuidado. Aquele que estiver mais vulnerável, poderá se deixar influenciar pelo outro e, das duas uma: ou um deles sairá achando que a realidade é dura demais e se culpará por não ter aprendido a sonhar, ou então, o sonhador vai passar a refletir sobre a possibilidade de cada um de seus pensamentos, temendo nunca alcançar tudo o que almeja.

    É duro sair de uma conversa dessas, raramente a deixamos sem ficar pensando em tudo o que foi dito, principalmente quando somos atacados. Nós, seres humanos, nos influenciamos mutuamente e, portanto, somos pessoas diferentes após cada relação que se estabelece. Mas, veja só. Antes de considerar ao pé da letra tudo o que lhe disserem, lembre-se que ninguém é igual a ninguém. E, portanto, você é um ser único, ninguém passou pelas coisas que você passou. Quando um amigo opina em nossa vida, ele está dizendo o que pensa, a partir das próprias experiências e de sua própria história de vida. Você precisa saber disso. O que é melhor para o outro, não é regra e, portanto, não significa que será o melhor para você. É necessário aprender a olhar considerando aquilo que somos e, nesse sentido, a nossa própria história. Não fique se olhando através dos olhos dos outros, eles não te conhecem.

    Tome cuidado com as extremidades, elas costumam ser perigosas e nos tornam pessoas inflexíveis. Não se obrigue a viver o tempo todo somente com coisas reais. Feche os olhos por um instante e imagine que tudo é diferente, pense que algumas das dificuldades que está passando poderão ser diferentes, imagine que você vai conseguir viajar e conhecer novas culturas. Sonhe! Mas, fique esperto, não viva absorto nesse mundo delicioso e tão convidativo. Eu sei que a realidade é dura e severa. Fugir para o mundo mágico em que tudo é possível é incrível, mas, Alice, acorda. Acorda que a realidade é aqui.

    Estar aqui, não significa ter de ficar o tempo todo, use a realidade como uma possibilidade capaz de te carregar para o dia em que os sonhos não serão mais sonhos. Lembre-se, para se tornar real, algum dia o sonho precisou existir. Mas se ele não existir, qual será a qualidade da tua realidade?

Escrito por Alex Valério

Alex Valério é psicólogo comportamental contextual (CRP 06/134435). Especialista em Terapia Comportamental pela Universidade de São Paulo (USP). Realiza atendimento clínico para adolescentes e adultos. Está localizado no bairro da Bela Vista, em São Paulo, próximo ao Metrô Trianon Masp. Possui interesse em música brasileira, poesia, literatura, cinema e tecnologia. Contatos: E-mail: alex@minutoterapia.com Fanpage: facebook.com/ominutoterapia Insta: @minutoterapia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: