Um sorriso ou três?

    Você se lembra da última vez em que riu tanto que acabou chorando de rir? Tente se lembrar da sensação gostosa que a gente sente depois de dar uma boa gargalhada. Eu diria que essa sensação, por exemplo, é um pequeno recorte de felicidade. Se, por ventura, você chegou até aqui e não conseguiu se lembrar de nenhum caso em que isso ocorreu, acredito que seja importante refletir a respeito.

    Ultimamente, com a rotina cada vez mais movimentada e disputada, tenho percebido que os sofrimentos se intensificaram, os vazios aumentaram e os momentos felizes, às vezes pequenos, se perdem entre uma tristeza e outra. Estamos tão preocupados com nossas tempestades que nem sequer reparamos e sorrimos com o breve raio de sol que se estende, algumas vezes, diante de nós. Ver o sol chegar é importante, nos dá força para seguir, nos motiva a vestir uma capa de chuva e enfrentar a tempestade torrencial que cai dentro de nós.

    Permita-se sorrir, não se abale por aquilo que não vale tanto a pena. Algumas das coisas que nos acontecem, não causam mal a ninguém, nem mesmo à você. É mais fácil enfrentar as dificuldades da vida com uma pitada de bom humor. Outro dia, cheguei no metrô, entrei no vagão e percebi que estava vazio e com alguns lugares para sentar, vocês não imaginam a minha felicidade! As estações foram passando, passando e, quando dei conta, estava na estação terminal, aquela que é oposta a que eu deveria estar. Isso mesmo, peguei o metrô no sentido errado. Não tive dúvidas: comecei a rir e a fazer piada de mim mesmo.

    É claro que rir não é sempre o melhor remédio. Quem disse isso, está mais atento ao pequeno recorte de felicidade. Risada passa, é breve. A reflexão que devemos fazer está na proporção que damos para alguns acontecimentos da nossa vida. Se há algo que lhe causa sofrimento, sofra. Entretanto, há algumas dores que não precisaríamos nos obrigar a sentir. Fazemo-nos algumas exigências que não precisariam ser feitas. Quer exigir algo de si? Exija a felicidade. E, pasmem, para ser feliz não é necessário ser perfeito. Alcançar a perfeição é uma busca dura e, talvez, interminável.

    Já ouvi tantas vezes colegas dizerem: “Tô rindo tanto e está tudo dando tão certo, que dá até medo, logo tudo começa a dar errado”. Queremos ser felizes, mas quando nos sentimos assim, ofuscamos a alegria nos preocupando com algo que não aconteceu e, pode ser que nem aconteça.

    Dificuldades fazem parte da vida, o que não significa que isso será o fim do mundo. Não deixe que problemas ofusquem o brilho de um sorriso sincero, nascido de uma conquista sua e de algo que foi grandioso para você – por grandioso, vamos considerar você e sua história, não compare suas conquistas com a dos outros, cada um é cada um. Aliás, já pensou que ótimo seria se, ao invés de esperarmos ir do riso ao choro, fizéssemos o contrário? Seja “do contra”, quebre o círculo vicioso, exija ir do choro ao riso. Ria e aproveite a sensação, registre na lembrança esse recorte de felicidade. Aprenda a fazer a felicidade tão importante quanto o teu sofrer.

Escrito por Alex Valério

Alex Valério é psicólogo comportamental contextual (CRP 06/134435). Especialista em Terapia Comportamental pela Universidade de São Paulo (USP). Realiza atendimento clínico para adolescentes e adultos. Está localizado no bairro da Bela Vista, em São Paulo, próximo ao Metrô Trianon Masp. Possui interesse em música brasileira, poesia, literatura, cinema e tecnologia. Contatos: E-mail: alex@minutoterapia.com Fanpage: facebook.com/ominutoterapia Insta: @minutoterapia

um comentário

  1. Oiii.. vamos lá.. rs

    Quem me conhece mesmo, sabe que eu não sou uma pessoa feliz, mesmo que eu tenho saúde (graças a Deus), família, amigos etc, eu não me considero feliz. Isso não quer dizer que eu seja má agradecida pela minha vida, é que eu não sou, sei lá.. E mesmo que alguém esteja muito pior, isso não muda em nada o fato de que eu tenho o que tenho. É bom e mau, sabe, é a minha vida e vive-la quer dizer que não posso fazer comparações, faze-lo não mudará meus transtornos.
    Existe uma música que diz: “Um dia feliz as vezes é muito raro..” e é tão um autoboicote, pq quando sinto que estou feliz, já vem aquela maré negativa.. pensando no meu vai dar de errado, até quando isso vai durar?! Me atrevo a dizer que isso está se tornando cultural, sei lá.
    Por vezes me sentia feliz pelos os outros, mas hoje, posso dizer que isso já mudou, aprendi que a felicidade é egoísta, por mais que vc esteja errado, mas está feliz – então fim – essa é a sua vida. Eu acho que somos quem somos por várias razões, ser/considerar ou não ser/considerar feliz e muito assustador, e talvez, nunca conheçamos os verdadeiros motivo ou fingimos que não.

    Você diz “sorrimos com o breve raio de sol que se estende, algumas vezes..” talvez esse pico é o que faz a nossa vida tão mágica, mas quando ele vem -isso só depende de nós.
    “Então, esta é a minha vida. E quero que você saiba que sou feliz, triste e estável ao mesmo tempo, e ainda estou tentando entender como posso ser assim.”

    Bom, essa foi minha contribuição, espero que entenda o que quis dizer e por favor, não pense que sou má agradecida.. rsrs não quero ser “punida” por pensar diferente.
    Gostei a beça do texto..
    Quando quiser me tirar um sorriso ou dois me chame!! 😘

    Sabe, eu acredito fielmente que o riso pode curar dores insuportáveis. “Então, o que vai ser – um sorriso ou dois?! –

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: